Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escrescer

Escrever | Opinar | Partilhar | Sonhar | Inventar | Refilar | Aprender | Ser | Crescer

Escrescer

Escrever | Opinar | Partilhar | Sonhar | Inventar | Refilar | Aprender | Ser | Crescer

Marrocos - Saïdia

Ora que este post está um bocadinho atrasado, mas como há Verão para o ano que vem de novo, decidi vir na mesma dar a minha opinião sobre o destino.

Sabia para o que ia e por isso mesmo, ia com as expectativas em baixo.

 

O voo teve 1h10 e voámos num Charter TAP. Tivemos direito a snack a bordo e a viagem foi um instantinho e sem atrasos. 

A entrada no país não tem grande burocracias, mas demora. Tivemos de preencher um formulário à chegada ao aeroporto de Oujda, daqueles simples, até aqui tudo bem, o problema é que o controlo de passaportes é muito lento.

O transfere demora uns 45 min até à zona balnear. O autocarro era confortável e a mim pareceu-me menos tempo.

 

Ficamos no Iberostar Saïdia e o hotel surpreendeu-me.

Eu conhecia criticas negativas, mas também sabia que tinham sido feitas melhorias, mas não sabia o que ia encontrar.

Os quartos são amplos, todos com varanda. O nosso era virado para o hotel vizinho e portanto bastante sossegado. O ar condicionado funcionava às mil maravilhas. A limpeza era boa, mas às vezes era feita de manhã, outras à tarde, e nunca percebi muito bem o porquê.

A apontar ficou um menos para o secador de cabelo avariado e para a pressão da água no banho. De resto 5*.

 

As áreas comuns e jardins também estavam muito bem tratadas e limpas.

Existe uma piscina com muita animação, jogos, música e actividades e outra sem nada disso, onde se estava muito bem.

 

A praia é limpa e a água convida a entrar sem arrepios. A areia é fina mas um pouco mais escura do que a nossa.

Aqui vai uma menção honrosa para os vendedores ambulantes, perguntam uma vez e acabou, estão lá mas não chateiam. Aliás vou aproveitar para dizer que no geral os marroquinos são muito simpáticos e prestáveis.

Os dromedários estão por lá, mas não passam na zona das espreguiçadeiras e a praia não cheira mal, por isso até é giro.

Há actividades na praia, beach volei, zumba, uma espécie de jogo da malha, isto tudo sem andarem a importunar ninguém. O espírito é "existe, quem quiser é juntar-se!", o que para mim é muito bom!

Como ponto negativo será só e apenas o bar praia ser na casinha do nadador salvador. Eu nos primeiros 2 dias jurava que não havia bar na praia. Apenas serve água, sumo e coca-cola.

 

O ponto crítico é mesmo os buffets e a alimentação. 

Não há falta de comida e, da reposição nada a apontar, mas há filas e filas para tudo o que se queira comer, por isso nada de ir com muita fome.

A higiene na área da alimentação não é das melhores, contudo nota-se um esforço da parte deles na limpeza do que está à vista.

Ao pequeno-almoço não há, a meu ver, reclamações. Agora ao almoço e ao jantar a coisa já é diferente. A comida não tem grande sabor e a carne é muito seca, o peixe então nem falar. Acabei a semana a comer pizzas, batatas fritas e bananas, fui experimentando mas fui desistindo. Entre sopas, massas, arroz, carne, peixe, especialidades acabei a semana um bocadinho enjoada e com muitas saudades da gastronomia portuguesa. 

O Hotel tem um bar de piscina (na piscina com actividades) que serve um pequeno-almoço tardio, almoço em versão reduzido e lanche a meio da tarde. Aqui consegue-se comer com menos gente, o que acabou por ser o nosso poiso sempre que possível. 

Experimentámos ainda os três restaurantes temáticos à disposição:

Asiático - showcooking - é engraçado, decoração temática, mas para quem já esteve noutros resorts com este restaurante, nada traz de novo. A comida era boa e deu para desenjoar da comida seca e sem sabor do buffet. 

Marroquino - horrível - o restaurante é escuro, com uma decoração muito pobre e um cheiro muito intenso. O menu foi um prato de sopa que me soube a caldo de tomate e aipo; frango e/ou borrego seco num molho estranho e escuro, sem conduto; a sobremesa de arroz doce por solidificar e salvaram-se as bolachas de manteiga e chá na despedida.

Mediterrâneo - TOP - jantar servido no bar da piscina, e delicioso, se pudesse ia lá jantar todos os dias. Umas espetadas saborosas e batata em papelotes. O ambiente de capa de apresentação do hotel. Tudo de bom, das entradas à sobremesa. 

 

Dicas:

O hotel não é T.I. 24horas;

Existe um bar de shisha ao pé do lobby do hotel que não faz parte do T.I.;

Podem-se pedir frutos secos com as bebidas à noite e eles servem à mesa (nós só descobrimos a meio da estadia e depois de travar amizade com um Suíço casado com uma Marroquina).

 

Num dos dias fizemos a excursão a Oujda, meio dia. 

O guia era muito simpático e brincalhão e fez questão de nos explicar muita coisa da história da zona de Saïdia, do povo, da relação com a vizinha Argélia. 

Parámos uma "farmácia" onde havia chás, cremes, pós, líquidos e especiarias para todas os males e bens de culinária, pele, cabelo ou peso. Foi rir com vontade, foi perceber que há toda uma série de plantas, frutos, sementes e coisas verdes que nem me passavam pela cabeça. Viemos de lá com o milagre para a gastronomia caseira.

Chegámos à cidade onde mais uma vez pudemos constatar que as religiões podem viver porta com porta sem ninguém chatear ninguém.

Lá entrámos na Medina com muito calor e tivemos 1hora para uma volta, para compras e afins.

No regresso ao Hotel e já muito cansados pelo calor e falta de ar condicionado no autocarro lá chegámos à fronteira, de arame farpado, com a Argélia para uma foto de "check point".

 

Nas férias os dias passam sem darmos conta e aqui não foi excepção. Chegámos ao dia do regresso e até o céu ficou triste com a nossa partida. Depois de 7 dias de Sol, Calor e Mergulhos, o dia estava cinzento, ventoso, chuvoso e o mar calmo estava revoltado. O dia foi passado entre livros, conversas, música e lá chegou à hora do transfere. Aqui o cansaço acusava já a sua presença e a espera no aeroporto foi longa. O voo curto foi o que acalmou a vontade de chegar a Lisboa, que já era tão grande como a vontade de partir de Lisboa uma semana antes.

 

Adeus Saïdia!

2 comentários

Comentar post

Margarida Mourão

foto do autor

Aqui e Aqui

  •  
  • Margarida a viajar com

    Calendário

    Outubro 2018

    D S T Q Q S S
    123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    28293031

    História

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Mensagens